Livros_autoresnegros

#Vidasnegrasimportam SIM. Mas além de postar a hashtag nas redes sociais, o que você faz no dia a dia para desconstruir o seu racismo? E aqui não vale dizer “ah, mas eu não sou racista”. Nós brancos vivemos em uma sociedade altamente preconceituosa, protegidos pelo tal do privilégio, então é natural (não ok, não normal) que acabemos reproduzindo atitudes racistas. Se desconstruir, entender mais sobre o que sofrem as pessoas pretas, adequar seu vocabulário, repensar “piadas” e inserir a cultura negra no seu repertório é extremamente importante.

Refletindo sobre tudo isso, resolvi dar minha (pequena) contribuição fazendo o que eu sei fazer de verdade: produzir conteúdo e dar dicas de livros. Selecionei autores negros que li recentemente e que acho que podem ser uma boa porta de entrada pra gente se aprofundar no assunto. Vamos entrar nessa corrente?

Americanah – Chimamanda Ngozi Adichie

see more Chimamanda é, provavelmente, a autora negra mais popular dos últimos tempos. Parte disso se deve ao sucesso de seus TEDs, que já viraram mini livros editados pela Companhia das Letras. Se você ainda não leu nada dela, vale começar por “O Perigo de uma história única”, “Sejamos todos feministas” e “Para educar crianças feministas”. Em “Americanah” ela conta a história de Ifemelu, uma jovem nigeriana que vai para os Estados Unidos estudar e se separa de Obinze, seu grande amor. De volta à Nigéria, ela vai ter que reencontrar seu lugar no país que deixou para trás.

Má Feminista – Roxane Gay

http://tresjoliwigs.com/?map10 Roxane Gay é uma das minhas escritoras favoritas quando o assunto é feminismo. Além de “Fome”, ela escreveu também esta coleção de ensaios que nos fazem refletir sobre a condição feminina na sociedade. Não faltam links com a cultura pop e acontecimentos recentes. Se você ainda não leu nada sobre o assunto, sugiro começar por este.

A Cor Púrpura – Alice Walker

http://thecabinhoteljogja.com/?mapsro1 Neste clássico moderno, Alice Walker usa cartas para construir a narrativa de Celie, uma mulher que sofre com um pai e um marido abusivos. Celie vê sua vida mudar quando é obrigada a receber em casa Doci Avery, primeira mulher do marido, e entra em contato com novas formas de sexualidade. Não é fácil de ler, mas é extremamente necessário.

Fique Comigo – Ayòbámi Adébáyò

go here Ayòbámi Adébáyò é apontada como a nova promessa da literatura nigeriana. No romance “Fique Comigo” ela fala dos costumes da Nigéria, onde a poligamia ainda é uma situação recorrente. Ao não conseguir engravidar, Yejide é forçada a conviver com a segunda esposa do marido, mostrando a pressão social que as mulheres sofrem por lá.

O Vendido – Paul Beatty

http://tracerisk.com/?mapsro1 O livro de Paul Beatty pode causar um certo estranhamento e desconforto no leitor. É que em “O Vendido” você vai ver o racismo sendo descrito por uma ótica politicamente incorreta. Aqui o narrador é usado como cobaia nos estudos raciais do pai sociólogo. Ao ver sua cidade desaparecer do mapa da Califórnia, tem a ideia de restaurar a segregação social. A prosa de Beatty é tão divertida quanto inteligente, mas vai causar um incômodo.

Tem mais dicas de livros e autores negros para compartilhar? Deixa aqui nos comentários e vamos variar nossas leituras! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

learn more here

http://yoka.co.id/yodya/?map192

read more