fbpx

Podcast: cinco programas para ouvir e entender o mundo

Literatura, empreendedorismo, cultura pop, comportamento, política, sociedade, música. Os assuntos são inúmeros, as possibilidades, quase infinitas. Em meio a tantos artigos, vídeos, posts, textões, consumir conteúdo através de um podcast pode ser uma delícia. Confesso que demorei um pouco para entrar nesse universo, mas depois ficou difícil resistir a eles. Aqui embaixo, uma lista rápida com meus preferidos! Ah, e para ouvir, é só clicar no título!

podcasts

Vozes

É difícil ser imparcial quando eu falo sobre o Vozes. Muito dessa imparcialidade vem do fato da Gabriela Viana, narradora, redatora e produtora deste podcast, ser minha amiga. Mas vem também da qualidade das reportagens feitas aqui. Se você quer entender mais sobre o mundo que te cerca – de sexo à maconha, do estatuto do desarmamento a experiências de quase morte – este podcast é para você.

Episódio preferido: “Maconha: da dependência à medicina” e “Os heróis da tragédia que marcaram o Brasil”.

Arnaldo de Propósito

Outro em que serei obrigada a deixar a imparcialidade de lado. Como a Gabi, o Arnaldo também é meu amigo. E como ela, ele também produz conteúdo de excelente qualidade. Em áudios curtos, de dois a cinco minutos ele faz um passeio pelo seu método de coach, o Vivendo de Propósito (falei dele aqui). Também dá dicas de meditação, como ter mais tempo, como encontrar seus talentos, etc. Vale conhecer!

Episódio preferido: “Como tornar metas desafiadoras realizáveis”.

ResumoCast

A primeira vez que eu ouvi falar do ResumoCast (através do Arnaldo, aí em cima) fiquei um pouco desconfiada. Como assim um podcast que “resume” livros? E livros de autoajuda ainda por cima? Mas o ResumoCast vai muito além disso. Criado pelo investidor Gustavo Carriconde, o programa debate de maneira leve alguns dos conceitos presentes em livros de psicologia, empreendedorismo, negócios, economia criativa, e por que não dizer, da autoajuda mesmo. Não se trata de substituir uma mídia pela outra, mas sim de servir como introdução aos temas, todos muito interessantes.

Episódio preferido: “Mindset”.

The Memory Palace

Criado pelo escritor Nate DiMeo, o The Memory Palace traz casos reais narrados de uma maneira leve e envolvente, como só os melhores contadores de histórias conseguem fazer. A pesquisa para cada episódio é extensa, mas o que chama a atenção mesmo é a narração. Nate já falou sobre o leão da Metro, sobre a fuga de escravos no sul dos Estados Unidos, sobre a morte de Edgar Allan Poe, entre outros. O podcast é em inglês, mas no Brasil ganhou uma versão escrita e publicada pela Todavia: o Palácio da Memória. Já falamos sobre ele neste post!

Episódio preferido: “No Summer” e “Ten Figures, Ten Toes”.

Compre o livro aqui!

História para Ninar Garotas Rebeldes

Ao contrário do “The Memory Palace”, o “Histórias para Ninar” começou como um livro e logo virou podcast. Como o próprio nome diz, o programa traz minibiografias de mulheres relevantes em diversas áreas: artes plásticas, música, ciência, etc. O mais interessante é que cada episódio é narrado por uma mulher diferente. Assim, é possível conhecer mais sobre Virginia Hall na voz de Astrid Fontenelle ou saber mais sobre Grace O’Malley através da Jout Jout. Imperdível!

Episódio preferido: “Frida Kahlo, por Estela Renner” e “Margareth Hamilton, por Sarah Oliveira”.

Compre o livro aqui e aqui!

E você? Tem algum podcast preferido? Conta aqui pra gente!

Por que escrever um diário?

Não tem jeito. Não tem ano que comece por aqui sem um caderninho novo. Ideias, desabafos, brigas imaginárias, cartas a mim mesma, listas, tudo vai para lá, para o diário. O hábito de escrever começou ainda criança, quando eu ganhei do meu pai um livro chamado “Minha Vida de Menina”, da Helena Morley. No livro, a autora inglesa narrava dia a dia como foi sua chegada ao Brasil, para morar em Diamantina. De lá pra cá, foram muitas agendas, cadernos, blocos… Tudo que servisse para colocar pensamentos. Escrever diariamente tem tantos benefícios que eu precisei tentar te convencer a fazer um diário também. Vamos a eles?

diário

Escrever acalma a mente

Só o ato de sentar, pegar um caderno e uma caneta já te coloca em outra vibe. O ideal é que seja uma atividade analógica para evitar que você se distraia e realmente entre em contato com seus pensamentos. Vale fazer logo ao acordar – como prega O milagre da manhã – ou à noite, como uma forma de registrar o que aconteceu no dia. Desabafe, xingue, rasgue, desenhe. O importante é deixar no diário o que você está sentindo e, assim, desanuviar a mente, percebendo melhor a real dimensão das suas questões.

É uma maneira de registrar a vida

E evitar que você se esqueça de momentos/sentimentos importantes. Depois que escrever se torna um hábito, é comum passar a prestar mais atenção no dia a dia, como uma maneira de registrar melhor o que viveu. Também é uma ótima forma de perceber melhor que a vida vem em ciclos, e que por maior que seja o desconforto, ele também vai passar. É a sua evolução como ser humano ali, toda registrada no papel!

Faz você refletir sobre suas ações

No calor da discussão, estamos sempre muito certos do que estamos fazendo ou falando. É na solidão das páginas que a gente começa a refletir. A pausa é necessária pra repensarmos ações, falas, pensamentos e convicções. Às vezes vai bater uma vergonha de escrever sobre algo, mas não pare. Lembre-se que só você vai ler o diário. É um registro pra você e para mais ninguém.

Te permite ter ideias ruins

Na era das redes sociais, onde todo mundo é lindo e bem-sucedido, estamos super valorizando as boas ideias. Tanto que a gente até esquece que até elas chegarem, passamos por um monte de ideias ruins. Seu diário é o lugar para isso. Pense, rabisque, rascunhe. Sinta-se livre para criar, rasgar, rasurar. O papel não julga.

É um exercício de auto-conhecimento

No Templo de Delfos, lá na Grecia, os visitantes se deparam com uma inscrição logo na entrada: “conhece-te a ti mesmo”. Os gregos já sabiam que a chave da felicidade passava pelo autoconhecimento. E vocês que frequentam este blog sabe o quanto eu sou fã de ferramentas que fazem com que a gente se conheça melhor. Assim como terapia e meditação – duas práticas que eu gosto muito – o diário é excelente para você se conhecer, se perceber e entender seu lugar no mundo.

Maratona Oscar 2019: Infiltrado na Klan e Roma

Chegamos com mais um “episódio” da nossa Maratona do Oscar 2019! Dessa vez, para falar de dois filmes bem diferentes entre si: a comédia-dramática Infiltrado na Klan, e Roma, campeão de indicações deste ano! Vamos a eles?

Infiltrado na Klan

Oscar2019_infiltradonaklan

Sabe aquele filme necessário nos dias de hoje? Primeira indicação de Spike Lee a Melhor Diretor no Oscar, Infiltrado na Klan conta a história de Ron Stallworth, um policial negro que decide investigar a Ku Klux Klan durante os anos 1970. Para isso, ele finge ser um cara branco que se aproxima dos altos escalões da KKK para entender como funciona a maior organização racista do mundo. Com atuações excelentes de John David Washington, Topher Grace e Adam Driver, o filme chega a ser um pouco perturbador, te fazendo rir de coisas que – na real – não tem graça nenhuma. Vale muito o ingresso do cinema!

Vale prestar atenção: nos diálogos, na linguagem meio história em quadrinhos e na fala “America First”, em uma reunião da KKK. Te lembra algo?

Veja o trailer aqui!

Roma

Oscar2019_roma

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que Roma não caiu no meu gosto pessoal. O que não apaga a importância do filme de Alfonso Cuarón, o primeiro da Netflix a ser indicado ao Oscar, logo em 10 categorias. Todo filmado em preto e branco, o longa é um retrato da vida no México dos anos 1970, muito semelhante ao Brasil da ditadura. Baseado em aspectos da própria infância, o diretor mostra a relação de uma família de classe média (que mora no bairro Roma, na Cidade do México) com Cleo, a babá das crianças. É sensível, é esteticamente impecável, mas meu Cuarón preferido continua sendo A Princesinha, lá da década de 1990. #sóDeuspodemejulgar

Vale prestar atenção: no cenário, que reproduz a casa onde Cuarón cresceu, na angustiante cena da praia e na fotografia, absolutamente incrível.

Veja o trailer aqui!

Salomé Bistrô: vinho bom e comida deli no Leme

E aí que o ano mal começou e eu já tenho um novo amor gastronômico! Quem acompanha este blog já deve ter percebido que poucas coisas me deixam mais feliz do que vinho e comida. Mas a combinação de vinho a preço justo + burrata gostosa + ambiente aconchegante ganha meu coração. É o caso do Salomé Bistrô, no Leme.

Aconchego com vista para o mar

Quem é do Rio logo nota a semelhança. O Salomé lembra muito o Canastra, bar já tradicional em Ipanema. A proposta é parecida – o dono é o mesmo! -, mas o Salomé tem um bônus: vista para o mar. Sim, pra visita ficar gostosa mesmo, a dica é aproveitar o fim de tarde por lá, curtindo a área externa.

Salome01

O menu que deixa qualquer happy hour mais feliz!

Às quartas, o programa fica ainda melhor com a dose dupla de espumante rosé no happy hour. E quando você está lá, embriagada de emoção (a dose dupla nada tem a ver com isso), vem o menu. O que eu recomendo que você peça de olhos fechados? A burrata com pesto e tomatinhos, o carpaccio com batatas fritas e a tábua de queijos e frios.

Salome2

E os bons drinks?

Para quem gosta de frutos do mar, o Salomé Bistrô também tem ótimas opções. Mas, por motivos de alergia, não posso recomendar nenhum prato específico. Já os drinks… Esses eu experimento feliz, né? Minha dica é pedir um Aperol Spritz, que já virou um clássico nos bares cariocas. Por lá, vale experimentar também a gin tônica.

E já adiantando as perguntas: sim, o Salomé é perfeito para um date, já que o ambiente é bem intimista. Mas claro, sempre vale reunir as amigas em um bar com vinho, né? 😉

Endereço: Avenida Atlântica, 994 – Leme

Como se vestir bem no verão

Juro, eu me faço essa pergunta todos os dias de manhã. Principalmente quando tenho alguma reunião. Veja bem, eu moro no Rio de Janeiro, onde a temperatura no verão varia de 30 a 50 graus à sombra. Calça jeans é impensável, terceira peça já pode ser considerada uma crueldade e não tem acessório mais na moda do que uma garrafa d’água. Então, se você também está sofrendo com o calor como eu, mas sabe que andar 24 horas de biquíni não é uma opção, vamos às dicas!

verão_02

Escolha tecidos naturais

Chego a me coçar quando vejo uma blusa de tecido sintético em uma loja. Fuja de qualquer coisa com nylon ou poliéster. Sim, a gente sabe que as roupas de tecidos sintéticos costumam ser bem mais baratas, mas a sensação de sauna sem eucalipto não é um preço que você vai querer pagar. Algodão e linho custam um pouco mais, mas duram mais tempo, são mais elegantes e, importante: deixam sua pele respirar, no verão!

verão_01

Aposte nos acessórios

A terceira peça é uma total impossibilidade, mas vale apostar em outros acessórios como brincos ou anéis. Colares finos e lenços – amarrados na bolsa, pelo amor de Dadá – também são uma ótima opção. Pulseiras, relógios e gargantilhas costumam ser um incômodo, então vale sempre optar pelo conforto – já que a temperatura externa a gente não pode controlar.

verão_03

Opte por uma modelagem mais soltinha

Vai dizer que você não tem agonia só de pensar em colocar uma legging nesse verão? Eu quase faleço. Como nem sempre dá pra fugir da calça – nem todos os clientes acham bacana a moda da bermuda -, opto sempre por aquelas com modelagem mais amplas. As pantacourts também vão muito bem. Na parte de cima, é bom dosar: roupas largas geralmente tem mais pano, e quanto mais tecido, mais calor. Deus salve a regatinha!

verão_04

E as cores?

Sim, eu sei que a gente já associa o verão a roupas brancas ou claras. Isso se dá muito pela associação com o Réveillon e a tradição da roupa branca, mas a ciência aponta na direção oposta. Se você não quer passar calor, vá de preto. Nosso corpo gera calor e, quando em contato com um tecido claro, ele rebate e não consegue sair. Já as roupas mais escuras absorvem o calor. Não acredita? Faça o teste! 😉

verão_05

Mude suas referências

Não adianta se inspirar na gótica da Suécia se a sua realidade é clima verão-inferno-tropical. Minhas referências de sempre são as brasileiras que vocês viram acima: @modices, @lu_dehoje, @fecortez, @thaisfarage, @jomoura, @rioetc, entre outras.

E você, tem dicas de como fugir do calor? Conta aqui nos comentários!

Maratona Oscar 2019: Bohemian Rhapsody e Nasce uma Estrela

Começou! Os filmes já foram indicados, os bolões já estão rolando e todo mundo já tem seus favoritos ao Oscar 2019. Esse ano, temos algumas surpresas como Roma, o primeiro filme da Netflix concorrendo à estatueta nas categorias de Melhor Filme e Melhor Filme Estrangeiro, Bradley Cooper em sua estreia como cantor e diretor, e a música marcando presença fortíssima com Nasce uma Estrela e Bohemian Rhapsody.
Por aqui, a gente dá o start na nossa Maratona Oscar 2019! Até o dia 24 de fevereiro, data da premiação, a gente se encontra aqui toda segunda para falar dos indicados a Melhor Filme, beleza? Então, pega a pipoca e vem comigo.

Bohemian Rhapsody

Eu não poderia começar por outro. Mesmo. A cinebiografia (bem romanceada) do Queen pode não ter agradado aos fãs mais radicais pelas suas imprecisões. De fato, o filme traz várias. Mas no geral, ele cumpre seu papel e a gente sente vontade de cantar junto no cinema. Rami Malek está incrível no papel de Freddie Mercury, assim como o resto do elenco (Gwilyn Lee com Brian May, Bem Hardy como Roger Taylor e Joseph Mazzelo como John Deacon). A tristeza fica por conta do diretor Bryan Singer, acusado de assédio em diversas ocasiões. Quando é que esses homens vão aprender?
Vale prestar atenção: sequência de gravação de Bohemian Rhapsody, o Live Aid (reproduzido nos mínimos detalhes) e o figurino incrível desenvolvido por Julian Day!
Veja o trailer aqui e aqui

Nasce uma Estrela

Oscar2019_nasceumaestrela

Boas histórias nunca morrem. A prova é a 4ª versão de A Star is Born, que marca a estreia de Bradley Cooper na direção. O filme conta a história de Jackson Maine (também interpretado por Cooper), um cantor no auge da fama. Um dia, ele conhece Ally (Lady Gaga), um talento ainda desconhecido, e se apaixona por ela. A medida que Ally ascende, Jackson vê a própria carreira indo por água abaixo. Gaga assume o papel que já foi de Janet Gaynor, Judy Garland e Barbra Streisand, e está ma-ra-vi-lho-sa. Cooper também manda muito bem como cantor e os fãs de Pearl Jam vão notar ali um dedinho de Eddie Vedder, que ajudou o ator a construir o personagem.
Vale prestar atenção: na trilha sonora (Shallow, em especial), nas cores do filme e na fala “só queria olhar para você mais uma vez”, presente em todas as versões da história.
Veja o trailer aqui

Sexta que vem a gente volta com mais dois filmes!

Leitura de verão: quatro livros incríveis para ler na praia

Ah, o verão! Apesar de estar cozinhando e tomando quatro banhos por dia, essa ainda é minha estação favorita. Principalmente porque é a época ideal para fazer uma das coisas que eu mais gosto: ler na praia. Um mate geladinho, um bom livro e… preciso de mais nada! Hoje selecionei quatro que me fizeram ótima companhia em 2018! Pra comprar qualquer livro na Amazon (e ajudar esse bloguinho) é só clicar no título.

livro_ler_praia

As Garotas

A história não é leve. Uma jovem adolescente se envolve com uma seita hippie na década de 1970 e, aos poucos, se vê envolvida em uma trama macabra de roubos e assassinatos. Soa familiar? Sim, o livro de Emma Cline é um “roman à clef” que reconstrói de maneira ficcional a história de Charles Manson e seus seguidores. Pode soar sinistro para uma leitura na praia, mas a verdade é que a leitura desenrola fácil e você logo se vê envolvida com os personagens. Vale muito a leitura, principalmente na era de denúncias contra gurus famosos como João de Deus, Sri Prem Baba e Osho.

O Que Alice Esqueceu

Quem acompanha este blog sabe que eu sou bem apaixonada pela escrita da Liane Moriarty (já falei dela aqui). Então, quando a Intrínseca lançou um dos primeiros romances da autora, eu corri para ler. A protagonista não chega a ser exatamente cativante, mas o enredo te coloca para pensar. Depois de um tombo na academia, Alice acorda pensando no marido, na sua gravidez e na reforma de sua casa. Acontece que ela já tem três filhos, está se divorciando, e perdeu 10 anos de memórias. O leitor acompanha de forma bem humorada as trapalhadas de Alice enquanto ela tenta resgatar suas lembranças. E você, do que se lembraria se perdesse uma década de vida?

Cem Anos de Solidão

“Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o coronel Aureliano Buendía se lembraria da tarde remota em que seu pai o levara para conhecer o gelo”. É esta frase que abre Cem Anos de Solidão, a obra mais famosa de Gabriel García Márquez. E não é à toa. Ao contar a história da família Buendía, o autor faz um passeio pelo realismo fantástico e encanta o leitor. Uma narrativa com personagens femininas incríveis que você não pode deixar de conhecer!

A Elegância do Ouriço

Se você gosta de personagens irônicos, cativantes e bem-humorados, este livro é para você. A história se passa em um prédio da elite de Paris, e é narrada pela concierge e por uma jovem moradora com com fortes tendências suicidas. Apesar da diferença de idade e de classe social, as duas têm em comum a inteligência acima da média, e principalmente, a surpreendente erudição. Ambas não desejam revelar sua personalidade para os outros moradores, e com isso, acabam se conectando de maneiras inusitadas. Divertido e melancólico na medida certa, A Elegância do Ouriço merece ser degustado aos poucos!

Curtiu as indicações? Que livro não poderia faltar na sua lista?

Cinco coisas para fazer em dezembro que vão mudar seu 2019

Dezembro chegou e a nossa mente já se divide entre as confraternizações e os planos para 2019, certo? Pensando nisso, fiz uma lista de cinco coisas que você precisa fazer ainda este mês para começar o ano novo com mais calma, paz e foco. Bora ver?

photo-1534989713668-e6c993fd1554

#1 Desapegue

Aprendi isso com a minha mãe, que AMA uma boa faxina de final de ano. Esse é o momento em que a gente revê tudo o que comprou durante o ano, o que não faz mais sentido guardar, o que pode ser doado, o que pede conserto. Gosto muito de passar o guarda-roupa a limpo, separando o que não tem mais nada a ver comigo e vendo o que eu preciso comprar para o verão. Aliás, passar a sua casa em revista é também uma maneira excelente de organizar e planejar seus gastos.

#2 Escolha um método de organização

A internet está lotada de planners (gratuitos e pagos!) e dicas de como montar seu bullet jornal (aqui inclusive). Não importa o método que você vai escolher – isso é realmente MUITO pessoal – mas é muito importante que você tenha um. Só assim, a gente não deixa nenhum compromisso passar e começa a transformar os sonhos em metas. Por falar nelas…

#3 Estabeleça metas

Não adianta vir com esse papo de “desisti das resoluções de ano novo”. Por um motivo muito simples: você TEM QUE saber onde quer chegar para definir a rota até lá. Afinal, “se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve”. Mas como criar metas? Bom, para que uma meta deixe de ser um mero desejo e passe a ser um objetivo, é preciso que ela seja tangível, realizável, específica e ter um prazo para acontecer. Mais ou menos assim: “eu vou emagrecer 5 quilos até junho de 2019 e, para isso, me comprometo a cortar o açúcar e ir para a academia 5 vezes por semana. Pegou?

#4 Aprenda a meditar

Já falei muito sobre assunto por aqui, e até dei dicas de aplicativos que podem te ajudar. Aproveita que os especialistas dizem que só precisamos de 21 dias para criar um novo hábito e introduza a prática antes de 2019!

#5 Organize sua vida financeira

Deixei este item por último porque tinha certeza de que você ia desistir do texto assim que chegasse à essa parte. Pois é, falar de dinheiro ainda incomoda muita gente, mas se você quer uma conta bancária cheia em 2019, a hora é essa. Para começar, você precisa saber exatamente o que entra e o que sai. Ou seja, o que você ganha vs o que você gasta. Parece bobo, né? Mas muita gente não faz ideia de pra onde vai seu dinheiro. Então, comece por aí, negocie dívidas e, claro, separe uma verba todo mês para investir. No Me Poupe tem várias dicas maravilhosas!

 

Gastronomia: conheça o Joana Pizza Bar

Quem acompanha esse blog já deve saber que eu sou APAIXONADA por pizza. E hoje eu vou acrescentar mais um lugar na lista das minhas três pizzarias favoritas no Rio: o Joana Pizza Bar.

O espaço já ganha o visitante pela simpatia. Uma varanda na esquina das ruas Joana Angélica e Prudente de Morais é quase um convite para entrar e tomar um drink no bar, do lado de fora. As bebidinhas são uma atração à parte, tanto as com álcool quanto as versões “virgens”. Como eu fui em um domingo à noite, preferi uma pink lemonade e não me arrependi. Mas vou voltar lá para experimentar a Sangria e o C’Mon Mila, feito com gin, chá de camomila, espumante, xarope de cardamomo, limão e hortelã. Segura!

Tá bom, mas e as pizzas?

JoanaPizzaBar02

O cardápio é simples, sem firulas, mas atende até o fã de pizza mais exigente. Além dos sabores tradicionais, você ainda pode montar sua própria pizza, experimentando as mais diversas opções. Tem até molho de abóbora, mas como eu não sou muito fã, fico devendo a opinião. 😛 Fui ~claro~ na de Parma, mas experimentei a margherita do amigo e também estava uma delícia.

A massa é fininha, com borda mais grossa, e o recheio é tipo na medida. Ou seja, dá para comer de boa e, dependendo da sua fome, até experimentar mais de um sabor. Porque sim, o custo-benefício é ótimo e às quartas-feiras as pizzas saem por R$ 20!

Vale lembrar que no Joana Pizza Bar não tem garçom, então não adianta sentar como eu fiz e esperar alguém te atender. O pedido é feito no balcão, o pagamento é rápido e o serviço mais ainda. Tudo bem descomplicado, com ar de pós-praia carioca.

Ah, e o lugar ainda é pet friendly! Tem coisa melhor nesses tempos tão difíceis para os bichinhos?

O que Anitta pode te ensinar sobre sua carreira

Você é dessas que torcem o nariz para Anitta ou das que aguardam ansiosamente cada lançamento de clipe? Sai da pista ao ouvir a buzina de Show das Poderosas ou passa horas treinando a Paradinha? Seja como for, uma coisa você não pode negar: Anitta é exemplo de mulher que sabe gerenciar a sua própria carreira. Hoje, conversamos sobre quatro coisas que a diva pop tem para te ensinar sobre trabalho. Quer ver?

#1 Estude, estude, e estude mais um pouco

anitta01

E quando achar que já sabe suficiente… volte duas casas e comece novamente. A cantora já deu algumas declarações dizendo que odiava as aulas de inglês, mas era obrigada pela mãe. O que para a Larissa adolescente era “um saco”, se transformou em uma ferramenta importantíssima para Anitta. Afinal, sem ela, a carreira internacional nunca deslancharia. E por falar nisso, estude com afinco o seu próprio mercado. Antes de se lançar lá fora, Anitta fez a lição de casa, estudou os players e chegou nos Estados Unidos sabendo onde estava pisando. Vale lembrar que em qualquer profissão, informação nunca é demais. Além de te tornar mais capaz, ainda dá aquele boost na confiança, que a gente sempre precisa.

#2 Estratégia, foco e confiança

tenor

Por falar em confiança, ela não adianta muito se não vier acompanhada de foco e estratégia. Desde criança ela já sabia aonde queria chegar e traçou um plano para atingir seus objetivos.  Prova disso é o Projeto Check Mate, com o lançamento de um clipe por mês, em diferentes estilos, com músicas em inglês, português e espanhol, e parcerias com grandes nomes da música internacional. O que nos leva ao próximo tópico…

#3 Parcerias são a alma do negócio

anitta04

A competitividade do mercado faz a gente enxergar nossos pares como rivais, mas a colaboração é sempre o melhor caminho. Ao desenvolver um projeto, vale olhar com carinho pra quem tá do seu lado e até mirar alto e entrar em contato com aquele profissional que você admira. Anitta faz isso com nomes já consagrados como Alesso e J Balvin e com artistas “de nicho”, como Pabllo Vittar e Jojo Todynho. No final, sai todo mundo ganhando.

#4 Não tenha medo de se posicionar

anitta03

Nós mulheres ainda temos muita dificuldade de nos posicionar. A gente sempre acha que dá pra ganhar a discussão com uma certa doçura e deixamos escapar oportunidades importantes. Por sorte, esse comportamento vem mudando e Anitta é um grande exemplo. Ao ver que o clipe de “Vai, Malandra” estava estourando o cronograma, ela não teve dúvidas: demitiu a equipe e seu pessoal assumiu as gravações. O resultado você já conferiu, né?

No fim das contas, a gente precisa de uma boa dose de confiança e ousadia. E você, tem mais alguma dica para dar? 😉