fbpx ativan patient teaching como funciona o orlistat zolpidem v ativan gel concentration ativan withdrawal exercise

Etiqueta: primeira pessoa

30 coisas que eu sei

diary

Chegar aos 30 é um fato curioso. Não importa o quanto você se sinta jovem, seus joelhos, os fios de cabelo branco e as contas a pagar insistem em dizer que você já saiu da adolescência . Mas também é a idade em que você começa a perceber que o que provocava ideias suicidas há uns anos, agora é motivo de risada. Chama amadurecimento isso. Então, nem tanto para dar conselhos aos outros, mas sim para me lembrar que eu aprendi algo até aqui, resolvi compartilhar algumas coisinhas que eu sei.

1. A felicidade é a medida de todas as coisas. Não importa o que digam, o que a “sociedade” aponta como correto. Está feliz? Está certo. Está triste? Está errado. Agir assim poupa esforços inúteis, angústias exageradas e reações adversas.

2. Brigadeiro é feito com achocolatado. Chocolate em pó é usado somente em preparações muito adultas, que podem abdicar do açúcar. Comece a usar aos 70. Antes disso é desperdício.

3. Malhar não é apenas uma questão de estética, mas de saúde. Saiba: seu corpo de 30 vai desejar que você tivesse começado aos 20.

4. Quem decide a sua vida é você mesmo. Não importa o quanto uma pessoa te ame, e queira seu bem, nem sempre ela sabe o que é melhor para você. Simplesmente por ter outra visão de mundo, outra criação, outra maneira de reagir às situações. Foque no que você sente, e fique “de boas”…

5. Trocar a festa pela Netflix é ok. Não deixe que ninguém te diga que não é.

6. O egoísmo exacerbado é o exato oposto do altruísmo desmedido. Nenhum dos dois vai te fazer feliz. Faça como Buda e escolha o caminho do meio. Saber a hora de ceder e a hora de “bater o pé” é uma das coisas mais importantes que você vai aprender na vida.

7. Julgue menos. Sabe aquela sua amiga que vai pra night e pega 18 caras? Não julgue. Aquele amigo que é fissurado em coisas que para você não fazem o menor sentido? Não julgue. Aquela vizinha que é capaz de gastar três mil reais em um sapato? Não julgue. Aquele primo que poderia viver eternamente com a roupa do corpo desde que esteja surfando na Indonésia? Não julgue. Em suma, a vida dos outros simplesmente não é da sua conta.

8. O amor, a paixão e o tesão são as forças mais poderosas do mundo. Tanto para o bem quanto para o mal. Mas lembre-se: amar algo ou alguém não é salvo-conduto para você agir como um idiota.

9. Beba água. Muita. Várias vezes por dia. E vá ao banheiro toda vez que sua bexiga mandar.

10. Não é porque alguém não te ama exatamente do jeito que você quer, que ela não te ama at all. Não precisa aceitar migalha, mas pare de pensar que só o seu jeito serve.

11. Uma relação não precisa de rótulos para ser uma relação feliz. Mas não se engane, eles ajudam a organizar a bagunça e podem funcionar como bússola quando você se sentir um pouquinho perdido.

12. Impedir que alguém realize um sonho é impedir que aquela pessoa leve a vida exatamente como imaginou. E se levarmos em consideração que só existe uma vida neste mundo, você pode calcular o tamanho da sacanagem. Não seja essa pessoa, não permita que façam isso com você.

13. A morte de pessoas queridas é uma das piores dores que você pode sentir na vida. Mas nada se compara ao abandono. Rompa relações infrutíferas, mas não permita que as pessoas se sintam abandonadas.

14. Pensamento positivo não é uma questão de superstição, mas sim de sobrevivência.

15. Tenha esperança. Você pode ser visto como um idiota se tiver uma esperança cega em algo, mas a vida fica infinitamente mais fácil. E é sempre melhor ser otimista do que cínico.

16. A cura para todas as dores e todos os males está no vinho com os amigos, brigadeiro em família e lágrimas em particular. Essa é a minha combinação, você precisa encontrar a sua.

17. A gente nunca perde mais do que ganha. É matemático. Não dá pra entrar no cheque especial da vida, então não surte.

18. Faça do espelho um amigo e se afaste da balança. Tente gostar de quem você vê no reflexo. E não to falando metaforicamente, não. Se achar bonito/a é meio caminho andado para aumentar a auto-confiança, e não dá para ter sucesso sem ela.

19. Não confunda vaidade com futilidade. Ou confunda às vezes. Não é pecado ter uma confiança inabalável naquele batom vermelho.

20. Meça suas palavras, parça. Grosseria é o melhor caminho para quem quer destruir uma relação. Dia ruim, chuva, trânsito, TPM e outros desconfortos não servem como passe livre. Morte na família a gente até perdoa, de resto, não…

21. Don’t hate the player, hate the game. Não caia na armadilha de achar que o joguinho da sedução vai te salvar de uma desilusão amorosa. Pode até ser que salve, mas é o equivalente a nunca tomar banho pra não morrer afogado na banheira. O mais provável é que o game esteja te impedindo de viver algo legal.

22. Nunca, jamais, em tempo algum, diga para uma pessoa “ah, se fulano te amasse mesmo, ele faria tal coisa”. Primeiro, porque você não é fulano e não sabe o que ele sente. Segundo, você não sabe no que aquela pessoa está se agarrando para acreditar no amor. Terceiro, o coração não tem regras. Pare de tentar impor certezas quando nem mesmo você sabe do que está falando. E se te disserem isso, sorria, e ignore.

23. Aliás, sorria. Sempre. Movimenta os músculos, gasta calorias e não custa um real. E inspira simpatia.

24. Lealdade é mais importante do que fidelidade. Fidelidade é deixar de fazer algo que você deseja por ter assumido um compromisso. Lealdade é não deixar suas escolhas terem consequências ruins para o outro. Não adianta nada você ser o cara mais fiel do mundo se, em todas as outras esferas do relacionamento, você é um babaca.

25. Tenha um bichinho de estimação. Nenhum outro ser vivo te ensina mais rapidamente sobre amor incondicional. (Ok, talvez filhos.)

26. Tire fotos, muitas fotos, nunca pare de tirar fotos. Acredite, você vai querer se lembrar de como era aos 13 anos, só para se achar o suprassumo da beleza agora.

27. Acredite em algo. Em Deus, O Segredo, astrologia, tarô, no Deus Supremo do Brigadeiro de Panela, não importa. Só acredite.

28. Descubra algo a vida que te relaxe e te faça bem. Fumar, comer besteira ou fazer qualquer outra coisa que relaxe, mas prejudique seu organismo não conta, encontre outra.

29. Cozinhar, lavar a louça, lavar roupa não são coisas de mulher. São coisas de quem vive em uma casa e deve cuidar dela.

30. Stay hungry, como disse Steve Jobs. Acho que a gente só começa a morrer quando a curiosidade nos abandona.

#Crônica: eu e o Dia dos Namorados

054bc51cb552b96a040fc6e580221ee3

Nesse Dia dos Namorados, eu parei para refletir sobre minha “fama” na praça. Alguns olham pra mim e dizem “uau, como uma mulher como você está solteira?”. Outros enxergam defeitos que, às vezes condizem com a realidade, às vezes são pura viagem. “Boba, se entrega fácil, é carente, apaixonada demais, se doa demais”.

Confesso que às vezes eu sou meio kamikaze, e por algumas injeções diárias de serotonina e adrenalina acabo me deixando levar por essas sensações que beiram a doença. Fazem o coração disparar, o estômago doer, o rosto corar. E no final, nem valem tanto a pena assim.

Mas na real, não sou eu que amo demais, me apaixono demais, me doou demais. A galera é que anda amando pouco, anda contida, sem vontade de conhecer as pessoas. Tipo, CONHECER de verdade. Demais, demais mesmo, eu só tenho visto o joguinho. Não o da sedução, o saudável, que faz bem pra pele. Mas sim aquela coisa meio pentelha de demorar para responder a mensagem só para deixar a criatura – que, provavelmente, pensou por três horas antes de mandar um oi – esperando mais um pouquinho… Ah, o suspense. Nada mais fatal que o suspense para acabar com uma possível futura relação.

Hoje, vendo as minhas redes sociais sendo invadidas com declarações de amor, eu despi o meu cinismo, deixei de lado o recalque por não estar na mesma situação, para ver que no fundo, no fundo, eu continuo apaixonada.

Apaixonadas pelos meus amigos que encontraram pessoas incríveis, que viraram meus amigos também, pelos namorados que tive que me ensinaram a ser como eu sou, por aqueles casos que bateram na trave, morreram na praia, e acabaram ensinando mais ainda. Pelo brigadeiro e pelo Netflix que me farão companhia mais tarde. Mas, principalmente, pela capacidade de me apaixonar só pela possibilidade de encontrar alguém um dia.

Que venham mil Dia dos Namorados solteira, mas que não venha um sequer coberto desse cinismo que a gente cria depois de se machucar. Porque quem se coloca num pedestal e se gaba de fazer sempre as escolhas mais acertadas pode até se machucar menos, mas vive uma vidinha que, desculpem, não é para mim.